A alma é um cenário.
Por vezes, ela é como uma manhã brilhante e fresca,
inundada de alegria.
Por vezes ela é como um pôr do sol...
triste e nostálgico.

-Rubem Alves-

Seja bem-vindo. Hoje é
Deixe seu comentário, será muito bem-vindo, os poetas agradecem.

segunda-feira, 30 de julho de 2007

'LIBERTAÇÃO'



Não sofro porque não tenho
ilusões a quem servir;
sou como um dia de Outono
olhando no chão as folhas
que o vendaval fez cair.

Não sonho, que não é bom
enganos dentro da gente.
Já neste mundo aprendi
que o sonho, como o amor
vai matando lentamente.

Deixei pender os meus braços
como cruz feita em pedaços.

Nem a morte nem a vida
me abalam o coração.
Sou como rocha batida
pelo vento a toda a hora:
falo da vida, não freme,
penso na morte, não chora.


Maria Adelaide Motta D'Oliveira
Portugal

2 comentários:

Momentos de Insanidade e Lucidez disse...

Adorei o espaço

Anônimo disse...

MARAVILHOSO!!!
PROFUNDO DE UMA SENSIBILIDADE QUE NÃO TENHO PALAVRAS PARA DECIFRAR.
ABRAÇOS DO BRASIL!!!