A alma é um cenário.
Por vezes, ela é como uma manhã brilhante e fresca,
inundada de alegria.
Por vezes ela é como um pôr do sol...
triste e nostálgico.

-Rubem Alves-

Seja bem-vindo. Hoje é
Deixe seu comentário, será muito bem-vindo, os poetas agradecem.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

PASSO A PASSO



Os passos são andaimes interiores
Com que construo a habitação da espera.
Chovem horas em volta até que um dia
Alguém descobre infiltrações no tempo.

Tudo está só. Tudo são passos sós;
Eles que vivem soterrando as asas.
Por isso os dias doem por entre as rosas
Que afasto em busca de uma dor sem flores.

Depois (pobre depois – nome de um nome;
Coisa que é coisa porque as coisas partem
Envelhecendo a infância do futuro)...

Os passos são fraturas no meu voo;
Oprimidos retalhos do infinito;
Portos viajando no porão de um barco.

Homero Frei
In “Sonetos Brancos” (1998)

3 comentários:

Henrique Rodrigues Soares disse...

Sempre é bom passear por este belo mundo de imagens e versos.
Até na música o gosto refinado.
Sds, Amiga Maria Madalena.

Sonia Schmorantz disse...

Poema magnífico!
beijos Madalena, ótima semana

Sonhadora disse...

Madalena
Maravilhoso poema...adorei.

Beijinhos
Sonhadora