A alma é um cenário.
Por vezes, ela é como uma manhã brilhante e fresca,
inundada de alegria.
Por vezes ela é como um pôr do sol...
triste e nostálgico.

-Rubem Alves-

Seja bem-vindo. Hoje é
Deixe seu comentário, será muito bem-vindo, os poetas agradecem.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

PRINCÍPIO REVERSO


Toda estória tem dois lados,
como a moeda da própria história.
Como o dia e a noite,
como o gelo e o fogo:
verão, inverno, céu e inferno.

Toda memória tem dois fados,
como a beleza e a falácia da glória.
Como o imóvel e o veloz,
como o crédulo e o néscio:
lume, escuro, verão e inverno.

Toda história tem dois fardos,
como a sacola e o silêncio do viajante.
Como a tristeza e a grandeza do nascer,
como a pura luz e o tempo voraz:
espaço, sal, sangue
e o infinito terror do viver.

- Jairo De Britto -

2 comentários:

Amália Catarina disse...

Lindo poema!!!

Parabéns ao Jairo e também à você,
querida Madalena, por nos brindar,
sempre com poemas impecavelmente
formatados e de indiscutível qualidade.

Abraço.

Carmen Regina Dias disse...

Amável Madalena, parabéns por seu
blog. Um tesouro mesmo.
Jairo De Brito é poeta maior.

"...Toda memória tem dois fados,
como a beleza e a falácia da glória."...