A alma é um cenário.
Por vezes, ela é como uma manhã brilhante e fresca,
inundada de alegria.
Por vezes ela é como um pôr do sol...
triste e nostálgico.

-Rubem Alves-

Seja bem-vindo. Hoje é
Deixe seu comentário, será muito bem-vindo, os poetas agradecem.

quarta-feira, 21 de maio de 2008

"XV"




Golfinho, meu mestre,
meu coração bate em pedras,
vem e me ensina o sonar.

Me encanta
o molejo dos deuses,
e me chama
o quebranto do mar.


Fernando Campanella
da série "O EU confesso"

Um comentário:

Vita disse...

Parabéns Mada... teu blog está lindo!

Tua parceria com o Fernando está perfeita!!

bjs