A alma é um cenário.
Por vezes, ela é como uma manhã brilhante e fresca,
inundada de alegria.
Por vezes ela é como um pôr do sol...
triste e nostálgico.

-Rubem Alves-

Seja bem-vindo. Hoje é
Deixe seu comentário, será muito bem-vindo, os poetas agradecem.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

L’Ange Du Méridien



Na tormenta que ronda a catedral
Como um contestador que o seu juízo
Mói e remói, é um bálsamo , afinal,
Ser-se atraído pelo teu sorriso:

Anjo ridente, amável monumento,
Com uma boca de cem bocas:não
Te ocorre vislumbrar por um momento
O quanto as nossas horas já se vão

Do teu relógio, onde a soma do dia
É sempre igual, em nítida harmonia,
Como se as nossas horas fossem plenas.

Pétreo, como saber das nossas penas?
Acaso teu sorriso é mais risonho
À noite, quando expões a pedra em sonho?

Rainer Maria Rilke,
Tradução: Augusto de Campos

2 comentários:

Barbara Bastos disse...

Oi...

Lindo poema!!!
Adorável mesmo.
Olha, vai lá no Ideias que deixei um mimo para ti.
BJs

Henrique Rodrigues Soares disse...

Obrigado, por compartilhar mais este belo poema de Rilke...
Maria Madalena teu Blog cada dia nos surpreende... Bjs!