A alma é um cenário.
Por vezes, ela é como uma manhã brilhante e fresca,
inundada de alegria.
Por vezes ela é como um pôr do sol...
triste e nostálgico.

-Rubem Alves-

Seja bem-vindo. Hoje é
Deixe seu comentário, será muito bem-vindo, os poetas agradecem.

terça-feira, 21 de julho de 2009

Preciso



Preciso que um barco atravesse o mar
lá longe
para sair dessa cadeira
para esquecer esse computador
e ter olhos de sal
boca de peixe
e o vento frio batendo nas escamas.

Preciso que uma proa atravesse a carne
cá dentro
para andar sobre as águas
deitar nas ilhas e
olhar de longe esse prédio
essa sala
essa mulher sentada diante do computador
que bebe a branca luz eletrônica
e pensa no mar.


Marina Colasanti

2 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

Que belo este poema de Marina Colasanti, não o conhecia!
beijos Madalena

Barbara Bastos disse...

Em primeiro lugar quero parabenizá-la pela delicadeza e sensibilidade com que seleciona os textos e imagens do seu blog.
Realmente foi dificil escolher um para comentar. Mas como sou apaixonada pela Marina C. não resistir. Também tenho um blog e desde já te convido a conhecer.
Bjs

p.s. voltarei por aqui mais vezes....