A alma é um cenário.
Por vezes, ela é como uma manhã brilhante e fresca,
inundada de alegria.
Por vezes ela é como um pôr do sol...
triste e nostálgico.

-Rubem Alves-

Seja bem-vindo. Hoje é
Deixe seu comentário, será muito bem-vindo, os poetas agradecem.

terça-feira, 25 de março de 2008

'ISENTO"




Mira-te pelo calendário da flores
Que são só viço e esquecimento.
Desprende-te dos ofícios do dia,
Apaga os números, os anos e anos,
Releva a data de teu nascimento.
E assim, por tão leve sendo,
Por tão de ti isento,
De uma quase não resistência de pluma,
Abraça o momento,
Te apruma,
Tome por bagagem os sonhos
E apanha carona no vento.

(Fernando Campanella)
(Foto by Fernando Campanella)

Um comentário:

eremita disse...

apanhar carona no vento é das melhores coisas da vida. lindo. tens um desafio-jogo-colectivo no eremitério. passa lá. vai ser divertido e curioso ver a multiplicidade de textos e fazes falta. fraterno abraço