A alma é um cenário.
Por vezes, ela é como uma manhã brilhante e fresca,
inundada de alegria.
Por vezes ela é como um pôr do sol...
triste e nostálgico.

-Rubem Alves-

Seja bem-vindo. Hoje é
Deixe seu comentário, será muito bem-vindo, os poetas agradecem.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

POEMA



nada a desenhar
sob o diamante do ollhar
poeta no abismo
medular

nem há no fundo
do coração do mundo
sonho ou vento demiurgo
que tudo venha explicar

carne ou metáfora — não importa —
sendo nada tudo alcança:
o poeta é a viagem
mesmo contra a esperança


Afonso Henriques Neto
(Minas Gerais - 1.944)

3 comentários:

Fernando Campanella disse...

Maravilha este poema, Mada, lindo demais. Não conhecia este poeta, é mineiro, e dos bons. Linda a foto também, querida amiga. Postagem de nível, maravilhosa. Grande abraço, saudades de vc.

EDUARDO POISL disse...

Que a minha solidão me sirva de companhia,
que eu tenha coragem de me enfrentar,
que eu saiba ficar com o nada
e mesmo assim me sentir, como se
estivesse plena de tudo".

Clarice Lispector


Desejo um lindo domingo para você.
Abraços com todo meu carinho

M@ria disse...

Marcas de Mim...

Quero deixar em ti
as minhas marcas.
De um toque em tua alma.
Viver na tua mente, nas lembranças que te deixo.
De te querer eternamente.
De apenas um toque...
Ficar guardada em ti prá sempre!


Beijos e carinhos meus!!