A alma é um cenário.
Por vezes, ela é como uma manhã brilhante e fresca,
inundada de alegria.
Por vezes ela é como um pôr do sol...
triste e nostálgico.

-Rubem Alves-

Seja bem-vindo. Hoje é
Deixe seu comentário, será muito bem-vindo, os poetas agradecem.

domingo, 15 de novembro de 2009

ODE: VISLUMBRES DA IMORTALIDADE VINDOS DA PRIMEIRA INFÂNCIA


V

Nosso nascimento não é senão sonho e esquecimento:
A alma que conosco se ergue, Estrela de nossa vida,
Teve poente noutro recanto
E vem de longe imbuída:
Não de vez esquecida,
Nem totalmente despida,
Arrastando nuvens de glória, viemos a nos originar
De Deus, que é o nosso lar:
O céu nos envolve na infância!
As trevas do cárcere começam a encerrar
O Menino que cresce;
Mas Ele contempla a luz de onde ela vem brilhar,
A vê em sua alegria que resplandece;
O Jovem, ao se afastar deste nascente com certeza,
Trafega, ainda sendo o Sacerdote da Natureza,
É acompanhado em sua jornada
Pela visão encantada;
Por fim, o Homem percebe que a sua vida perece,
E na luz de um dia comum desvanece.


William Wordsworth
in 'O olho Imóvel Pela Força da Harmonia'

2 comentários:

Sight Xperience disse...

A grande lição que temos que reter... A vida passa muito rápido e não existem ensaios!

Por isso mesmo cada momento, cada gesto terão que ser considerados com toda a qualidade e intensidade!

É um prazer ler as suas escolhas!
Permita-me, um beijo!

Fernando Campanella disse...

Lindos versos, lindos poemas de teu blog, querida Mada, e fotos clássicas, tudo aqui fala de valores eternos. Bjos, te adoro, minha amiga.