A alma é um cenário.
Por vezes, ela é como uma manhã brilhante e fresca,
inundada de alegria.
Por vezes ela é como um pôr do sol...
triste e nostálgico.

-Rubem Alves-

Seja bem-vindo. Hoje é
Deixe seu comentário, será muito bem-vindo, os poetas agradecem.

domingo, 14 de junho de 2009

Soneto X


Aconteceu-me do alto do infinito
Esta vida. Através de nevoeiros,
Do meu próprio ermo ser fumos primeiros,
Vim ganhando, e através estranhos ritos

De sombra e luz ocasional, e gritos
Vagos ao longe, e assomos passageiros
De saudade incógnita, luzeiros
De divino, este ser fosco e proscrito…

Caiu chuva em passados que fui eu.
Houve planícies de céu baixo e neve
Nalguma coisa de alma do que é meu.

Narrei-me à sombra e não me achei sentido
Hoje sei-me o deserto onde Deus teve
Outrora a sua capital de olvido…

Centauro, n°l, Out-Dez. 1916.


Fernando Pessoa
in: Poemas Ocultistas

3 comentários:

REGGINA MOON disse...

Madalena,

"Aconteceu-me do alto do infinito
Esta vida. Através de nevoeiros,
Do meu próprio ermo ser fumos primeiros,
Vim ganhando, e através estranhos ritos"

Maravilhosa postagem!!!

Fico muito feliz e honrada pelo prêmio que voce me ofereceu.Já vim retirar e te agradeço mesmo, por esse incentivo e pelo carinho que sempre demonstra em tudo o que faz!
Te admiro muito, pelo exemplo de seriedade e conhecimento no que faz, sempre com belíssimos e competentes trabalhos!

Um grande beijo!!

Reggina Moon

O Profeta disse...

Um areal morno acolheu
Teus passos ávidos da chegada
Caminhas na procura das marcas
De uma espera desencontrada

Calmaria!
A bonança reivindicou o Sol no celeste
Uniram-se os pedaços de rasgada vela
Tua alma retomou o sonho adiante


Boa semana


Mágico beijo

Sight Xperience disse...

Madalena,
Sem jeito aqui estou, mais uma vez siderado pelas palavras, neste caso bem conhecidas do FP.

Sem jeito aqui estou recolher o "selo" com que honra o Sight Xperience.

Sem jeito, deixo as singelas palavras de FP :

Outras vezes ouço passar o vento,

E acho que só para ouvir passar o vento,
vale a pena ter nascido.

(in «Obras Completas»
de Fernando Pessoa)


Excelente trabalho este seu cantinho!
Um abraço.