A alma é um cenário.
Por vezes, ela é como uma manhã brilhante e fresca,
inundada de alegria.
Por vezes ela é como um pôr do sol...
triste e nostálgico.

-Rubem Alves-

Seja bem-vindo. Hoje é
Deixe seu comentário, será muito bem-vindo, os poetas agradecem.

sábado, 26 de março de 2011

Dora Ferreira da Silva

Ai, não ter a vida provas de revisão
para mudar-lhe as vírgulas, acrescentar-lhe
pontos de interrogação
e sobretudo passar a limpo dores e amores
arranjar vasos de flores, ter um gato de
estimação,
ouvir a rolinha a consolar-lhe a aflição...

Ai, não ter a vida provas de revisão
para endireitar-lhe as linhas, trocar palavras
e afinal arrancar as páginas todas do livro
e suprimir-lhe a edição.


Dora Ferreira da Silva
de JARDINS (esconderijos)
São Paulo: Edição da Autora, 1979. 125 p.

2 comentários:

Graça Pires disse...

Gosto da poesia da Dora Ferreira da Silva. Tenho 2 livros dela que uma amiga aí do Brasil me ofereceu.
Gostei de encontrá-la aqui.
Um beijo, amiga.

Maria Madalena disse...

Olá, querida Graça, que bom te encontrar por aqui!
Parabéns pelo lançamento de teu novo livro, SUCESSO !
Beijinhos.