A alma é um cenário.
Por vezes, ela é como uma manhã brilhante e fresca,
inundada de alegria.
Por vezes ela é como um pôr do sol...
triste e nostálgico.

-Rubem Alves-

Seja bem-vindo. Hoje é
Deixe seu comentário, será muito bem-vindo, os poetas agradecem.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

MOVIMENTOS


Desdobrar-se,
descobrir-se.
Levantar o tapete do Tempo:
espiar e expiar-se!


Jairo de Britto,
em "Dunas de Marfim"

Um comentário:

Amália Catarina Wichert Grande disse...

Linda postagem!!!
Me identifico com os poemas
do poeta Jairo de Britto.
Obrigada por compartilhar!!!