A alma é um cenário.
Por vezes, ela é como uma manhã brilhante e fresca,
inundada de alegria.
Por vezes ela é como um pôr do sol...
triste e nostálgico.

-Rubem Alves-

Seja bem-vindo. Hoje é
Deixe seu comentário, será muito bem-vindo, os poetas agradecem.

quinta-feira, 6 de setembro de 2007

...





Sob o céu tão azul que se espiritualiza,
o jardim vai fechar as pétalas das rosas
como alguém que cerrasse as pálpebras medrosas
para ver o que só no sonho se divisa.

Tudo adormece em torno... E a paisagem, mais lisa
que um esmalte, desfaz-se em sombras vaporosas...
Nascem apenas no ar, vêm das moitas cheirosas
arabescos de sons de flauta, pela brisa...

A sombra desce e abranda as cores... E do luxo
do jardim silencioso, onde as luzes se enfeixam,
subsiste só o esguicho esvelto do repuxo.

E, sob o céu que foge em tons de anoitecer,
fecham-se as flores, como os olhos que se fecham
para ver o que só no sonho podem ver.



Onestaldo de Pennafort-Brasil-
- Interior - Poesia

3 comentários:

eremita disse...

este poeta é dos inícios do séc. passado?
Pelo estilo parece. Linha do romantismo.
Fraterno abraço

Maria Madalena disse...

Abgar de Castro Araújo Renault

Nascimento-Barbacena,Minas Gerais 15 de abril de 1901 —
Morte-Rio de Janeiro, 31 de dezembro de 1995-Brasil

Este foi um grande poeta brasileiro,
escritor,tradutor,membro da academia Brasileira de Letras.

Obrigada por seu comentário
Maria Madalena

Rubens da Cunha disse...

bonito, delicado, o seu blog
abraços