A alma é um cenário.
Por vezes, ela é como uma manhã brilhante e fresca,
inundada de alegria.
Por vezes ela é como um pôr do sol...
triste e nostálgico.

-Rubem Alves-

Seja bem-vindo. Hoje é
Deixe seu comentário, será muito bem-vindo, os poetas agradecem.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Quero apenas

Além de mim, quero apenas
essa tranqüilidade de campos de flores
e este gesto impreciso
recompondo a infância.

Além de mim
– e entre mim e meu deserto –
quero apenas silêncio,
cúmplice absoluto do meu verso,
tecendo a teia do vestígio
com cuidado de aranha.


Olga Savary
(Belém, 21 de maio de 1933)

3 comentários:

AC Rangel disse...

Simplesmente fantástico. Como a obra de Olga. Parabéns pela escolha.

Mariangela disse...

Belíssimo esse poema.
Um ótimo dia para você!
Abraço!

Maíra da Fonseca Ramos disse...

Que lindo!!! Adorei teu espaço...