A alma é um cenário.
Por vezes, ela é como uma manhã brilhante e fresca,
inundada de alegria.
Por vezes ela é como um pôr do sol...
triste e nostálgico.

-Rubem Alves-

Seja bem-vindo. Hoje é
Deixe seu comentário, será muito bem-vindo, os poetas agradecem.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

ÚLTIMA CARTA


Te ofereço Abril —
Abril subindo as escadas noturnas
onde o silêncio acumulou as heras do longínquo
Abril fitando um céu fluorescente
debruçado em sacadas e colunas.
Te ofereço a minha paz —
Este modo tranqüilo de ser
como um pôr-do-sol na minha terra.
Te ofereço o antiqüíssimo crepúsculo,
a tradição dos relógios antigos
e a doce alegoria dos cartões-postais.
Te ofereço esta árvore, tão provinciana,
que ainda sabe amadurar seus frutos
entre sombras e pássaros.
Tudo o que a tua infância não provou
e que a tarde como um canto rememora.
Mas não aceites nada —
que isso são coisas tristes do passado
e eu prefiro o teu sorriso
em que os dias eternos se renovam.

Ivo Barroso

Um comentário:

Fabio Fraga disse...

Olá vim aqui para apreciar suas postagens e te desejar um ótimo começo de semana.

Abraços...