A alma é um cenário.
Por vezes, ela é como uma manhã brilhante e fresca,
inundada de alegria.
Por vezes ela é como um pôr do sol...
triste e nostálgico.

-Rubem Alves-

Seja bem-vindo. Hoje é
Deixe seu comentário, será muito bem-vindo, os poetas agradecem.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

LIRA DO PÔR DO SOL


Volto na tarde sem brisa,
vou pelos túneis do tempo,
para ver se em algum atalho
encontro a manhã da infância,
cheia das rosas de maio,
cheia de andores azuis...

- Nas procissões da Esperança,
eu tinha pássaros na alma
e ramos verdes na mão...
Nossa Senhora da Glória!
ao longo das alamedas
quanta luz havia então!

Volto na tarde sem brisa...
Mas só encontro os presságios
dos nimbos que se aglomeram
da grande noite parada
no chapadão dos novembros...

-Em que atalho do passado,
em que alameda perdida
ficou a manhã da infância,
cheia de rosas de maio
cheia de andores azuis?


Antonieta Borges Alves
In Lírios de Pedra
* Nasceu em Cruzeiro (São Paulo)18/09/1906.
Jornalista, Poeta e professora.

3 comentários:

Silvia disse...

Desejo um lindo e promissor Nascer do Sol neste ano de 2011 pra ti.
Abraço

Consultora Educacional disse...

Gosto muito dos artigos de ótima qualidade do seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver nosso Curso de Informática Online. Daienne.

Malu disse...

Que doçura de pôr-do-sol.
Que ele sempre nasça cheio de poesia.
Teu espaço é encantador!
Parabéns