A alma é um cenário.
Por vezes, ela é como uma manhã brilhante e fresca,
inundada de alegria.
Por vezes ela é como um pôr do sol...
triste e nostálgico.

-Rubem Alves-

Seja bem-vindo. Hoje é
Deixe seu comentário, será muito bem-vindo, os poetas agradecem.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

CHOVE


a memória como um tronco
e o amor brota-me olhos
de cogumelos azuis
...
(Nunca esquecerei que à entrada daquela mata, sob a chuva, tinha um tronco e que nele brotou o encanto de cogumelos azuis.)

Fernando Campanella

Foto do blog 'Meu Porta-Retratos', por Taíla

3 comentários:

José María Souza Costa disse...

Uma discrição belissima em um blog avassalador.Estou aqui, lhe convidando a visitar o meu blog, muito simplório por sinal, e se possivel seguirmos juntos por eles. estarei grato esperando por vc, lá
Abraços de verdade

Paulo disse...

simplismente magnifico este blog, passem tanbem pelo meu abraço

Fernando Campanella disse...

Obrigado, Mada, mais uma vez pela escolha de um poema meu em teu espaço.Bjos.