A alma é um cenário.
Por vezes, ela é como uma manhã brilhante e fresca,
inundada de alegria.
Por vezes ela é como um pôr do sol...
triste e nostálgico.

-Rubem Alves-

Seja bem-vindo. Hoje é
Deixe seu comentário, será muito bem-vindo, os poetas agradecem.

quinta-feira, 30 de abril de 2015

SUBSTANTIVOS QUASE ABSTRATOS



I

Carinho
é um pássaro lazo e azul:
sublime, arisco e raro,
precisa de paz, luz e ninho. 


II

Ternura
é uma nuvem de verde cura:
precisa de abrigo
no coração da aventura.

III

Afeto
é tudo que ofertamos às almas
de mãos postas e peito aberto:
precisa de amores (di)versos.

IV

Gratidão
é um sentimento cúmplice:
precisa de coragem e culto diário
para voraz atropelar a escuridão!


Jairo De Britto,
em "Dunas de Marfim"

Um comentário:

Sônia Lúcia disse...

Muito obrigada pelo belo poema que vem conceituar de forma breve , porém, acertadamente: o Carinho, a Ternura, o Afeto e a Gratidão; onde noto uma sutil intuição oportunizada ao leitor-poeta a uma paráfrase, dando assim, continuidade a elaboração de outros "SUBSTANTIVOS QUASE ABSTRATOS". Parabéns!