A alma é um cenário.
Por vezes, ela é como uma manhã brilhante e fresca,
inundada de alegria.
Por vezes ela é como um pôr do sol...
triste e nostálgico.

-Rubem Alves-

Seja bem-vindo. Hoje é
Deixe seu comentário, será muito bem-vindo, os poetas agradecem.

quinta-feira, 22 de maio de 2014

SONETO PARA NAVEGAR...


Há um tempo na vida que supomos
ter vencido sem trauma nem feridas
olvidando o sangrar das despedidas
sofridas nos poentes dos outonos...

E há um tempo de rosas renascidas
dos áridos desertos que nós somos
não obstante o estio vão os pomos
adoçando o penar de nossas vidas!

Ainda há um tempo que a saudade
como um rio que chora de piedade
nosso pranto carrega para o mar...

E vai além o nosso amor profundo
cantando no crepúsculo do mundo
a canção que a razão faz navegar!

Afonso Estebanez – 13.05.2014
(Composição dedicada à gentil amiga
Professora Nídia Horta, com carinho)

2 comentários:

Graça Pires disse...

Gostei deste "soneto para navegar".
Confesso que não conheço o autor.
Beijo, amiga.

Maria Madalena Schuck disse...

Boa noite querida Graça, ele é um poeta muito especial, querido amigo do Rio de Janeiro - Niterói - seu versejar é brilhante, em um casto português.
Grata querida amiga, por sempre me enviares carinho, Beijinhos brasileiros a preciosa poeta portuguesa!