A alma é um cenário.
Por vezes, ela é como uma manhã brilhante e fresca,
inundada de alegria.
Por vezes ela é como um pôr do sol...
triste e nostálgico.

-Rubem Alves-

Seja bem-vindo. Hoje é
Deixe seu comentário, será muito bem-vindo, os poetas agradecem.

domingo, 4 de maio de 2014

Onde o outono não é um cenário sossegado


Olho o rosto dos homens
onde o outono não é um cenário sossegado,
porque lhes sobe até à boca
um vulcão de espanto,
a rir na minha própria cara.
Então, um súbito amor a saber a sangue
dramatiza a voz dos disfarces
no interior de mim mesma,
como se desse conta do lodo
que me cobre os olhos
e, de repente,um rio
me corresse na alma sobressaltado.

Graça Pires
De Outono: lugar frágil, 1994

[Arte: Ben Rotman]

2 comentários:

Graça Pires disse...

Obrigada, Madalena, minha amiga, por mais este gesto carinhoso de divulgar um poema meu.
Um beijo.

Maria Madalena Schuck disse...

Quem agradece somos nós, a honra de ter você em nossos dias!
Beijinhos