A alma é um cenário.
Por vezes, ela é como uma manhã brilhante e fresca,
inundada de alegria.
Por vezes ela é como um pôr do sol...
triste e nostálgico.

-Rubem Alves-

Seja bem-vindo. Hoje é
Deixe seu comentário, será muito bem-vindo, os poetas agradecem.

sexta-feira, 11 de abril de 2014

'DA SOLIDÃO'



Prove a solidão que cura,

Aplauda a solidão que inventa,

Escute a solidão que diz:
-Aquela é pra ti, aquela não é

Sinta a solidão dos seres,
Por um instante,
Firme o olhar nas estrelas
E então, apregoe a solidão dos astros

Banhe os olhos nas águas solitárias
Da Baía perdida

Alguém poderá escrever que um dia te
Viu ali
Banhando-te sozinho na solidão dos outros.
Experimente então a solidão que afaga,
que minimiza a mágoa
e recupera os ouvidos do coração

Faça apenas da solidão que muda
Que transforma tua alma translúcida
em paciência e compreensão.

Mas não precipite as coisas
Não preencha a solidão com mapas

Fite a solidão que ilumina
E lá do fim do arco-íris observe a solidão a
navegar

A solidão que se esquece aos olhos da
viração.

Marcos André Carvalho Lins

5 comentários:

Graça Pires disse...

Um poema que nos pode inspirar nas horas de solidão. Gostei muito.
Um beijo e boa Páscoa.

Maria Madalena Schuck disse...

Um beijo de Páscoa, querida amiga. Gratíssima por sua visitinha carinhosa.

Arnaldo M. disse...

Fui arrebatado por essa página!! Simplesmente, obrigado!!...

Arnaldo M. disse...

Fui arrebatado por essa página... Um encontro para toda vida!! Simplesmente, obrigado...

Arnaldo M. disse...

Fui arrebatado por essa página!! Simplesmente, obrigado!!...